SANTO VIVO - ESTUDOS BÍBLICOS
Os Valores do Reino de Deus

OS VALORES DO REINO DE DEUS

Pastora Regina Lúcia Barbosa


Jo. 18.36 – Disse Jesus: “O meu Reino não é deste mundo, se o meu reino fosse deste mundo, lutariam os meus servos, para que eu não fosse entregue aos judeus. Mas agora o meu Reino não é daqui".


Falar dos valores do reino de Deus requer de nós fazermos uma reflexão de como estamos vendo estes valores, pois somos tentados a acreditar que já existem em nós tais valores como: amor, fé, justiça e fidelidade.


Mas a questão não é sabermos se temos estas qualidades dentro de nós. A questão é saber se estas qualidades são segundo os valores do reino de Deus. Pois é necessário que fique claro para nós que tudo que provem de Deus não pode ser igualado com os valores do reino deste mundo.


Há diferença em Deus usar as coisas desde mundo para descrever as coisas do seu reino, porque os valores deste reino jamais serão iguais ao reino de Deus.


Amor -
I Co. 13.7 - “diz que o amor tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta”. Esse tipo de amor só encontramos no Senhor Jesus, que se deu por nós com amor incondicional. Deus não esperou demonstrarmos amor por Ele, para depois Ele nos amar, ao contrário Ele nos amou primeiro ao ponto que deu seu único filho Jesus. Jo. 3.16 “Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”.


Para desfrutarmos do amor de Deus, não depende de sermos bonzinhos, ao contrário é o seu verdadeiro amor que nos leva a perceber que não sabemos amar. Pois quando o nosso amor está condicionado a algo de bom que alguém faz para nós isto não é o amor do reino de Deus. Portanto para haver em nós o amor sincero é necessário dependermos de Deus, pois nenhum ser humano pode dizer que ama verdadeiramente se Deus que é amor não estiver atuando em sua vida, ainda que haja amor em nós, esse amor é incompleto, pois só em Cristo Jesus seremos capazes de amarmos verdadeiramente.


- no livro de Hb. 11.6 “diz que sem fé é impossível agradar a Deus”. Hb. 11.1 “diz que a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam e a prova das coisas que se não veem”.


Portanto a fé que deve haver em nós não é a fé do homem natural que crê só quando vê o fato realizado. A fé que deve estar em nós é aquela que nos leva a crer no sobrenatural de Deus, ainda que os nossos olhos não vejam.


Em Hb. 10.38 “
diz que o justo viverá pela fé”. Fé esta que tem que estar além dos nossos recursos naturais, pois se recuarmos porque não estamos vendo algo sólido que possa alicerçar a nossa fé, a palavra de Deus nos diz que o Senhor não tem prazer em nós.


Sabemos que a fé vem por ouvir e ouvir a Palavra, portanto, se pedimos para Deus que queremos ver algo acontecendo para que possamos ter fé, já estamos totalmente fora da Palavra, porque Cristo é a própria Palavra e nada é mais sólido e concreto do que o Verbo habitando dentro de nós, isto é, se já confessamos Cristo como nosso Salvador.


Se Cristo já habita em nós, o que falta é exercitar a nossa fé para que ela cresça dentro de nós, e a melhor maneira para isto é dependermos totalmente de Deus, pois no seu reino tudo é concreto, sólido, com alicerce e estrutura porque é a sua habitação.


O maior erro nosso é acreditarmos que o mundo em que vivemos é sólido. Está é mais uma mentira de Satanás. Este mundo que vivemos só é solido materialmente, mas espiritualmente é fraco porque este é o reino das trevas e não o reino de Deus.


E é por este motivo que quando aceitamos a Jesus nós não pertencemos mais a este reino, porque agora somos homens e mulheres que pertencem ao reino de Deus, e nada é mais sólido que esse reino. Portanto as coisas físicas deste reino se desfazem com o passar do tempo, mas o reino de Deus é um reino eterno para todos aqueles que crêem.


Justiça – Sl. 89.14 – “
justiça e juízo são à base do teu trono, misericórdia e verdade vão adiante do teu rosto”.


Sabemos que o caráter do nosso Deus é formado de Santidade e Justiça, pois sobre esta verdade está estabelecido o seu reino. A justiça que Jesus nos ensina no sermão do Monte que está em Mt. 5. 6-10 é a justiça do seu reino, e não a justiça dos homens.


Em Mt. 5.20 – Jesus mostra claramente que a nossa justiça não deve ser igual a dos escribas e fariseus, pois com esta justiça levaram Jesus a morte. Devemos ter plena consciência que na justiça de Deus não há erros, não há injustiça.


É por esse motivo que os homens tem que ter fome de justiça segundo Mt. 5, não segundo a justiça que a TV tem mostrado para sociedade. E muitos homens por falta de vigilância estão concordando com a falsa justiça que este reino tem apresentado como certa, em que pessoas tem se levantado dizendo que estão fazendo justiça com as próprias mãos ao eliminar aqueles que julgam estarem errados.


Termos fome e sede de justiça é clamarmos ao nosso Deus e pedir a Ele sua misericórdia aos que ainda não conhecem a sua verdade. Devemos sempre lembrar que Deus não julga ninguém segundo a justiça dos homens, pois em Is. 64.6 – “todos nós somos imundo, e todas as nossas justiças, como trapo de imundícia”.


Podemos clamar a Deus por justiça, mas determinarmos a Deus como ser justo é muito diferente. É o que acontece com muitos cristãos quando oram a Deus pedindo para Ele pesar a mão sobre aqueles que os agrediram com atos ou palavras. Portanto se queremos que Deus julgue segundo o que achamos correto, estamos exatamente como os escribas e fariseus. Mas gloria Deus que a sua justiça é segundo o seu caráter.


Fidelidade – II Tm. 2.13 – “
se formos infiéis, Ele permanece fiel, não pode negar-se a si mesmo”.


O versículo acima nos ensina que mesmo sendo infiéis para com Deus, ele permanece fiel para conosco, por quê! A fidelidade faz parte do seu caráter.


No jardim do Éden o homem não obedeceu à orientação de Deus, e por causa da sua infidelidade ele perdeu a comunhão com seu criador. Mas através de Jesus Cristo o homem pode ter outra vez relacionamento com Deus e desfrutar de todos os benefícios que existe em seu reino. Entre tantos que existe, o maior e mais importante, é o direito de morar em seu reino eterno.


Ao nos relacionarmos com Cristo dia a dia Ele começa a se manifestar em nosso caráter e estrutura, moldando assim tudo aquilo que é necessário para sermos cidadãos do seu reino. “
Pois aquele que começou a boa obra há de aperfeiçoa - lá sabendo que Deus é o que opera em nós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa vontade” Fp. 2.13.


Porque o nosso adversário luta contra nós para impedir que venhamos ser fiel a Deus, pois sabe que através da nossa fidelidade para com Deus, podemos obter a garantia da nossa morada eterna em seu reino de paz.


Portanto enquanto os nossos olhos estiverem fixos nas coisas deste reino, não conseguiremos ver que a vontade de Deus para o homem é a melhor saída. Mas, quando nos tornamos fiéis a tudo quanto Deus tem revelado aos homens através de sua Palavra que é vida, essa verdade será o passaporte para o seu reino. Cristo Jesus foi fiel até morte e morte de cruz, para garantir aos homens que crêem Nele, o direito de serem cidadãos do céu.

www.santovivo.net

FALE CONOSCO/PERGUNTA BÍBLICA

CANAL DE BENÇÃO